sexta-feira, 28 de junho de 2013

EU CORRO PORQUE - Ayrton Vignola

Prestes a conquistar a sua centésima medalha, Ayrton Vignola hoje será destaque aqui no blog. Para quem conhece o dia a dia de um repórter-fotográfico sabe que, além de carregar o peso do equipamento, tem de correr para garantir um ângulo exclusivo. Mas para o agora editor de fotografia da Fiesp (Federação das Industrias de São Paulo), cujo hobby é dar umas pedaladas por aí, e que recentemente
Durante o percurso do Caminho da Fé
completou os vários quilômetros de bicicleta do Caminho da Fé (peregrinação ao Santuário Nacional de Aparecida). Em 2006, foi convidado por um primo para completar a equipe no Revezamento Pão de Açúcar, umas das provas mais tradicionais nesta categoria em São Paulo. 

Ayrton sentiu que ali começaria um novo rumo no esporte, impulsionado, principalmente, pela história de superação do irmão, ex-obeso que foi um dos primeiros brasileiros a submeter-se à cirurgia bariátrica, e que se tornou triatleta. Confira sua história!

Ayrton Vignola - 89 corridas

por que começou a correr - Comecei a correr para completar uma equipe de um primo, numa prova de 10k (revezamento Pão de Açúcar). Jamais tinha corrido esta distância. Mas, depois que senti a energia do que é completar uma prova, do que é ver pessoas de todos os níveis e condições sociais ali, umas iguais às outras, depois de sentir o bem que o esporte faz ao meu corpo, não consegui mais parar... Procurei uma assessoria esportiva, fiz exames cardíaco, de sangue, enfim, tive o Ok médico, fui comprar outros pares de tênis, camisas, bonés ou viseiras, meias, óculos de sol e um dos principais itens, que é o filtro solar, e não parei mais de correr...

onde costuma treinar - A maior parte dos meus treinos eram feitos na USP, acho que a maioria dos atletas treina lá, pra quem mora em SP. Acho um lugar com um astral muito bom, mas, atualmente, faço uma parte do treino em academia e outra na avenida Brás Leme, que fica bem perto da minha casa e tem todo tipo de dificuldade ou simulação... Pra quem gosta de subidas, e quiser se arriscar, posso apresentar o Jardim São Bento...Rsrs

o dia de herói - Para presentear um dia feliz em corridas, posso dizer que foi a São Silvestre do ano passado... pois estava com pouco tempo, tinha a meta de fazer apenas metade dela, já que moro bem próximo ao Viaduto Rudge,
Danilo e Ayrton Vignola com as medalhas da S. Silvestre
por onde passa a corrida, mas como meu irmão ia fazer a prova também, e ele mora no Interior de SP, acabei largando com ele na Paulista e fechamos a prova juntos. Pra quem não sabe, meu irmão Danilo Vignola sempre foi obeso e foi uma das primeiras pessoas a fazer a cirurgia bariátrica no País, e hoje ele é um triatleta e um exemplo de vida pra mim e para muitos.. Então,  o dia de Herói eu ofereço a ele, por me dar a honra de correr com ele e de terminar uma prova maravilhosa que é a São Silvestre.


antes da largada - Antes da largada eu faço absolutamente tudo o que faço desde a primeira. Fecho os olhos e estudo cada pedaço do meu corpo, procuro mexer e sentir cada músculo e agradeço a oportunidade de me levar para mais uma prova. Se vejo que não estou bem, por exemplo, faço a largada numa boa, com tranquilidade e se eu perceber que realmente alguma coisa não vai bem, caminho até o final da prova... afinal, o importante não é terminar uma prova arrebentado e sim terminar várias provas bem.

na chegada - ahhhh na chegada, a primeira coisa que faço ao cruzar a linha de chegada é fechar os olhos e agradecer ao Nosso Pai Maior por me dar saúde para completar mais uma prova. Agradeço ao meu corpo por me levar até ali também. Mas no Km final eu já começo a sorrir mais, já começo a desconcentrar mais e curtir o momento. Procuro ajudar outros atletas que vejo que estão cansados, ou com algum problema, procuro incentivar de alguma maneira... Atualmente não corro mais por tempo... corro por prazer. E, se de alguma maneira, ao longo da corrida eu conseguir ajudar alguém, com certeza a minha chegada é mais feliz.

corrida dos sonhos - seria correr qualquer prova ao lado de uma pessoa com qualquer tipo de deficiência, seja ela deficiência física, visual, auditiva, qualquer uma mesmo... Seria uma honra pra mim poder participar de alguma prova ao lado de uma pessoa especial. Se alguém quiser, ou puder ajudar ou indicar, ficaria muito feliz... Com certeza me faria mais feliz.

pior corrida - Eu nunca vejo uma prova como a melhor ou como a pior, nunca, pois eu respeito meu corpo. Nem todos os dias estamos bem pra tudo. E como já disse aqui, o importante não é terminar uma única prova e sim terminar várias... Se hoje não estou bem, ok... amanhã estarei melhor... e assim sigo a vida não só no esporte...

quem admira no esporte - Quem eu admiro no esporte com certeza são aqueles atletas de idade mais avançada... Como eu fico feliz em ver uma pessoa, um senhor, ou uma senhora. Mas um atleta que admirei muito no ano passado, por exemplo, foi um senhor correndo com uma tora de madeira de 30kg na
 S.Silvestre. Quer inspiração e superação melhor que esta?... Claro que temos aqueles atletas que nos enchem os olhos, como o jamaicano Usain Bolt, que apesar de ser um velocista, tenho certeza que é admiração para todos no esporte. 

Quer ter sua história publicada? entre em contato pelo e-mail: seguidoresdefidipides@gmail.com