sábado, 10 de agosto de 2013

ESPECIAL DIA DOS PAIS - Carlos Nascimento

Só quem corre sabe a emoção de cruzar a linha de chegada, mas, para quem tem uma pessoa muito especial sabe a importância de ela estar presente neste momento. Conheça a história de Carlos Nascimento quando a filha o aguardou pela primeira vez na linha de chegada.

"Uma das corridas mais marcantes foi em 2011, a primeira que a minha filha que na época tinha 4 anos acompanhou, foi bacana aquele final de semana. A prova foi realizada pelo Sesc, em Bertioga. Fomos numa turma de amigos no sábado, para aproveitar a praia. Foi a primeira vez que levei a Fernanda para a praia. Ela ficou encantada e apavorada com aquele mundão de água. Tentei levá-la para a beirinha, mas ela chorava de terror, então ficamos a maior parte do tempo na piscina do hotel. No domingo de manhã fomos para a largada, cheguei meio atrasado e não consegui nem aquecer, mesmo assim fiz uma boa prova, apesar do peso de correr na areia e debaixo de um sol forte. Ao final dos desgastantes 10 km, 50 minutos de corrida, tive a minha maior recompensa. A Fefê estava atenta me aguardando. Saiu correndo quando me viu logo após a linha de chegada e me abraçou muito forte.
Foi muito bom, uma satisfação enorme. Na emoção daquele momento, ela não perdoou e disparou o comentário mais engraçado e inocente que uma criança poderia dizer: 'Pai, você demorou!', protestou indignada pelo fato do seu herói não ter chegado entre os primeiros, 20 minutos antes. Imagino a apreensão dela acompanhando um monte  de gente passando e cadê o meu pai? “Poxa, será que aconteceu alguma coisa com ele?”, certamente pensou. Apesar de ter, de certa forma, frustrado um pouco da expectativa dela, foi um momento muito importante porque, passado a decepção inicial, também pude perceber que ela compreendeu o ambiente de participação e confraternização que envolve uma corrida de rua. Hoje, depois de ter acompanhado outras provas, ela já sabe que o papai não chegará na frente, que tem as suas limitações. Mesmo assim, ela sempre me recebe com os braços abertos e um sorriso que só os grandes campeões são merecedores".  

Carlos Nascimento - jornalista - 42 anos - perdeu a conta de quantas corridas já realizou.

por que começou a correr -sempre joguei um futebolzinho e volei quando o pessoal esticava a rede na rua de casa, mas o trabalho e os estudos tomavam muito do meu tempo, e quando tinha um tempinho sempre calçava o tênis e saia correndo por aí. Também por um tempo pedalei muito, algumas vezes quase como um biatleta. São esportes que você não depende de outras pessoas, apenas da sua disposição.


onde costuma treinar - treino sempre no Ibirapuera e na USP e até na rua mesmo

o dia de herói - A minha primeira São Silvestre foi a mais marcante. Eu tinha uns 22 anos de idade. Inesquecível e me incentivou muito para que eu continuasse a correr.

corrida dos sonhos - eu gostaria muito de correr pelo mundo: Nova Iorque, Londres, Berlin

antes da largada - Não tenho nenhum ritual especial ou superstição

quem admira no esporte - atleta que eu admiro não é nenhum famosão. Tenho um amigo que já foi atleta profissional do São Paulo FC e correu em alto nível por muitos anos, Maurício Pereira. Ele me incentivou muito a correr. Hoje em dia ele ainda compete. 

correr - é vida