sexta-feira, 2 de agosto de 2013

EU CORRO PORQUE - Fernando Dantas


Se me permitem, desta vez contarei a minha história de corredor, vamos lá. Há 36 anos sofrendo de bronquite asmática, por recomendação médica sempre pratiquei esportes para abrir os tais brônquios, mas daquele jeito né, sem muito compromisso. Na infância e na adolescência, é fácil ter uma vida ativa mas, depois que começamos a trabalhar e estudar, sempre fica complicado. Como sempre fui fã de ciclismo, me dediquei um bom tempo às pedaladas, até consegui um 3º lugar em uma prova em São Bernardo.
100 quilos


Na minha profissão de repórter-fotográfico, o tempo é algo raro para se dedicar a qualquer esporte
mas, ao descobrir a corrida, aliei esse exercício à minha rotina. Sempre que viajo dou uma escapadinha para correr. Como não ocupa espaço, é só levar o tênis e um short bem básico para correr. 

Fernando Dantas - 36 anos - 54 corridas - 1 maratona e 4 corridas internacionais. 

Por que comecei a correr - minhas primeiras passadas foi em 2008 , quando fazia boxe chinês. O mestre me aconselhou a correr para ganhar fôlego, até participava de uma equipe do pessoal do trabalho, a Equipe Kâimbra, e treinava com o meu amigo Pedro Pasquale em São Caetano do Sul. Com isso, corri quatro provas de 10 km a passos de tartaruga, sendo a minha última a de abertura da Corpore, que na época era 12 km na USP. Consegui terminar, mas com o sentimento de ter completado 100 km. 


Corrida do Planeta 8 km - Enseada Guarujá
Em 2011, de emprego novo e após sofrer uma crise de enxaqueca áurea que me assustou muito, e com diagnóstico de estresse e depressão acumulados, resolvi retornar a pedalar. Soma-se a isso o fato de a balança estar batendo nos 100 kg, isso mesmo, 100 kg. Perdi algum peso, mas não era o suficiente, então resolvi correr. 

Entre passadas e mais passadas, lá fui eu para uma disputa no dia 12 de fevereiro de 2012, na praia da Enseada, no Guarujá, 8 km, 4 de asfalto e 4 na areia, com chuva. Pronto, reacendeu a chama da conquista após pegar a medalhinha. Procurei uma assessoria espotiva para ajudar no meu desempenho . A ambição foi tanta que parti para maratona. E, hoje, com 21 kg a menos, me dedico a provas longas e de montanha.

onde costumo treinar - revezo muito os circuitos, como Museu do Ipiranga , Parque da AclimaçãoEstrada Velha de Santos  e USP

o meu dia de herói - sem dúvida, a minha primeira maratona, este ano, em Paris.

corrida dos sonhos - Comrades 89 KM na África do Sul e Spartathlon 100 KM na Grécia. 
Corrida de Montanha - Boiçucanga

antes da largada - Alongamentos, um pequeno aquecimento e o sinal da cruz para pedir proteção

na chegada - às vezes, dou um grito para comemorar a meta conquistada.

pior corrida - Corrida do Trabalhador 10 km no Parque do Carmo. Corri uma de montanha no domingo anterior e, esta na terça (1º de maio). Pela primeira vez na carreira tive de andar de tanta dor e câimbras.

Corrida do Café da Manhã - Paris
quem admiro no esporte - Meu ídolo Abebe Bikila e Marilson Gomes dos Santos.

correr é - satisfação, alegria, dever cumprido, organização e amizades conquistadas.