sexta-feira, 13 de setembro de 2013

EU CORRO PORQUE - Márcio Villar - ultramaratonista

Às vezes, pensamos em um dia completar uma maratona, o que para nós mortais já é algo desafiador. Imagine então dobrar os 42,195 km, acha muito? Conheça então a história do carioca Márcio Villar, o primeiro brasileiro e o único no mundo a completar os três desafios da BAD 135 World Cup, as ultras mais desafiadoras já inventadas. Como se isso não bastasse, ele decidiu dobrar - correr de trás para frente e depois fazer o percurso no sentido original - com os outros corredores a BR 135. Seis meses depois encarou os mesmos 434 km na Badwater, nos Estados Unidos. Com calor de até 60°C no Vale da Morte, na Califórnia. 

Villar não nasceu corredor, muito pelo contrário, segundo relata no seu livro "Desafiando Limites". A profissão de analista de sistemas o faz ficar sentado à frente do computador por muitas horas, assim, aos 35 anos e com 98 kg para 1,73 de altura, cobrou o seu preço quando foi correr para pegar o ônibus para ir ao trabalho e não conseguiu. Foi quando percebeu que era hora de tomar uma atitude. Com o incentivo de um colega de trabalho que já praticava esporte, começou a se movimentar. Na mesma época, seu irmão se inscreveu em uma prova de 4 km e o convidou. Completou a prova que era de revezamento, e até hoje não sabe como conseguiu. 

Depois disso, começou a se dedicar aos treinos pelas praias do Rio de Janeiro e a participar de corridas de 4 km até chegar nos 21 km e daí em diante, até que um dia recebeu um e-mail para participar de uma corrida de 24 horas na pista de atletismo em São Caetano do Sul. Lá foi ele, aos olhares dos amigos incrédulos de que conseguiria chegar pelo menos na metade do desafio e, além de correr até o último segundo, subiu ao pódio em primeiro lugar na categoria de 35 a 39 anos após 166 km completados.   
Márcio Villar - 46 anos - analista de sistemas 
por que começou a correr - para perder peso, eu tinha 98 kg

relate algo curioso - o dia em que fui comprar uma calça, após emagrecer, saí do manequim 48 para 42. Quando experimentei a calça e serviu, minha vontade foi sair pelo shopping gritando de alegria
 
onde costuma treinar -  Barra, Recreio, Grumari, Prainha (Rio de Janeiro)

o dia de herói - foi na Brazil 135. Quando terminei minha prova, voltei para resgatar uma atleta e corri mais 11 horas ao lado dela e a fiz completar também, foi inesquecível.

corrida dos sonhos - dobrar a ultramaratona de 7 dias no deserto do Saara, correndo 14 dias (ida e volta)

antes da largada - rezo e peço proteção a Deus e a Nossa Senhora

na chegada - volto a agradecer a Deus e a Nossa Senhora, depois a todos que me apoiaram e me ajudaram na corrida

Sérgio Cordeiro
pior corrida - a Primeira Arrowhead em que fui tirado da prova por suspeita de congelamento nos dois pés com perigo de amputação, Chorei muito, foi o momento mais triste de minha carreira.

quem admira no esporte - Sérgio Cordeiro, nosso campeão mundial de Deca Ironman.

correr é - fazer o que ama e por prazer, o resultado é apenas uma consequência.

Quer saber mais sobre as aventuras de Márcio Villar, adquira o livro pelo site.