quarta-feira, 9 de outubro de 2013

CASAL CORRE POR AMOR

Paixão pelas corridas levou Valnete e Flávio a disputarem juntos 41 provas, todas com vitórias em suas categorias. 

Os atletas Valnete Bastos e Flávio Bastos de Miranda mostram que, ao contrário da música do Criolo, existe sim amor em São Paulo - ao menos no mundo das corridas. Incentivados um pelo outro, ambos somam 82 medalhas desde o ano passado, quando começaram a correr. Duas dessas medalhas foram conquistadas na última edição da etapa paulistana do Circuito de Corridas CAIXA, nos 5 km. Agora, a dupla prepara o fôlego para disputar a distância maior da prova, 10 km, diante do Estádio do Pacaembu.

Baiana radicada em Osasco, São Paulo, há mais de 20 anos, Valnete Bastos corria há apenas dois meses, em busca de mais saúde, quando o marido, o educador físico Flávio Bastos de Miranda, fez uma surpresa e a inscreveu em sua primeira corrida, em maio do ano passado. "Fiquei em primeiro lugar na categoria Bancários. Foi emocionante e me deu mais estímulo para correr. Continuei treinando e participando de provas", lembra a atleta.

Na sequência, foi a vez de Valnete retribuir o "favor". Convenceu o marido, que havia parado de praticar esportes e pesava 112,5 kg, a acompanhá-la nos treinos e o inscreveu numa corrida. "Depois disso, ele não parou mais e, juntos, já fizemos 41 provas. Temos 82 medalhas penduradas!", orgulha-se a esposa. "O Flávio está agora com 99,6 kg. Alimenta-se melhor,e já o convenci também a fazer musculação voltada para a corrida. Ainda está gordinho, mas está se esforçando. Já me acompanhou inclusive numa maratona."

Valnete conta que, nas primeiras corridas, ela acabava se distanciando do marido por ter um ritmo mais forte e os dois se encontravam apenas na chegada. "Desconfiei que ele estava muito confortável, sempre com o mesmo ritmo, e comecei a correr ao seu lado para puxá-lo. Numa prova de 10 km, eu devia fazer uns 11 km/h, de tanto correr até lá na frente, pegar água e voltar para levá-la a ele", brinca a atleta, dedicada à evolução do marido nas ruas. "Hoje em dia a gente faz a maioria das provas mais longas juntos e um de nós dá um sprint apenas na reta final para poder fotografar o outro cruzando a linha de chegada."

O amor pelas corridas também passou para os filhos gêmeos, Cristian e Gabriel, de 12 anos, que também já participam de algumas provas, como a do Pão de Açúcar Kids. "Já a Michelle, a mais velha, de 28 anos, não gosta muito de ir com a gente. Já a inscrevi em várias competições, comprei roupas de ginástica, e nada. Mas eu continuo firme tentando incentivá-la", assegura Valnete.

Para o novo desafio na etapa de São Paulo do Circuito CAIXA, o casal vem treinando pelo menos duas vezes por semana num parque de Osasco. "O lugar tem algumas ladeirinhas básicas que deixam a gente sem fôlego", explica Valnete, pensando no trajeto de 10 km da corrida que passa pelo Elevado Costa e Silva, o famoso Minhocão. Integrantes da equipe Klabhia Team Run, os dois vão correr acompanhando a amiga Cláudia Schaefer, para abrir espaço entre os corredores para a filha dela, Beatriz, que é cadeirante. 


Inscrições abertas


As inscrições para a etapa de São Paulo do Circuito CAIXA estão disponíveis no site www.circuitocaixa.com.br. Para garantir uma vaga, basta acessar e pagar a taxa de R$ 60,00. Atletas maiores de 60 anos têm direito a um desconto de 50% sobre esse valor.