quinta-feira, 10 de outubro de 2013

EU CORRO PORQUE - Matheus de Freitas

Quando o cronometro registrava 03h19 e enquanto o público aplaudia os verdadeiros heróis, um em especial passava pelo pórtico de chegada para completar a XIX Maratona Internacional de São Paulo. Era a conquista do segundo lugar na categoria e a 172ª na classificação nos 42,195, superando as mais diversas adversidades da prova e da vida. 
Com apenas 1,50m de altura, Matheus de Freitas Silva é um vencedor tanto nas corridas como na vida pessoal. Algumas pessoas riram quando declarou sua intenção de ser um maratonista, achavam que seria impossível. O apoio mais sincero sempre vinha de sua mãe, a única que acreditava que seria um vitorioso.
Começou a correr aos 12 anos e, segundo ele, foi paixão à primeira vista. Hoje, aos 23 anos, e com um quartel de títulos invejável, deixa muito grandalhão pra trás. Este corredor também ministra palestras em empresas sobre superação de limites.

Matheus de Freitas - auxiliar administrativo - passou de 100 corridas

comecei a correr - aos 12 anos

por que começou a correr - comecei a correr por incentivo de amigos, e 

nunca mais parei

onde costuma treinar – região de Itaquera

o dia de herói - foi quando eu corri uma maratona guiando um deficiente visual

corrida dos sonhos - Maratona de Nova York

antes da largada
- concentração geral

na chegada - não pode faltar o tiro de 100 metros na chegada

pior corrida – em 2005, na corrida Unicsul, sofri muito com cãimbras

quem admira no esporte – pessoas com deficiências físicas

correr é – correr é um vicio sadio, que me ajuda muito a super a dor da morte da minha mãe.

você aconselha alguém a correr – sem dúvida, a corrida é um esporte que nos ajuda a distrair a mente, desestressar, e é um ótimo meio de fazer amigos

Se tiver interesse em suas palestras, entre em contato
Matheus de Freitas Silva e-mail: atheus_freitas_silva@yahoo.com.br






Leia mais histórias

Alessandro Ribeiro                      

Série Relatos.