segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

SAROMA RACER ST2

  •  Como sou um corredor compulsivo de pé pronado, e para quem tem este tipo de pé sabe a dificuldade em encontrar um tênis que se encaixe perfeitamente, foi aí que nas minhas pesquisas descobri esta opção, veja a seguir:

    Inspirado na Ultra Marathon Lake Saroma, uma ultra maratona de 100 km que acontece todo ano na Ilha de Hokkaido, no Japão. 
  • A Asics inovou mais uma vez com a segunda versão do Gel Saroma Racer ST 2, é um calçado de competição que combina conforto, amortecimento e estabilidade. Que faz a diferença em corridas de longas distâncias.

    O fechamento em velcro ajustável, permite perfeita adaptação no arco do pé e maior sustentação dos pés dentro do calçado. Para aumentar a estabilidade, possui a placa DuoMax, que, aliada à entressola de Solyte, proporciona passadas suaves e estáveis.

    Prós
    peso - 279
confortável
pronador
acabamento
ótimo preço

Contras
apenas duas opções de cores
pouco ventilado
não há versão menor que o número 38

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

O TEMÍVEL PROFESSOR DE PORTUGUÊS.

Dia desses, em um restaurante na região da avenida Paulista onde costumo almoçar, na mesa ao lado, vejo um senhor alto de cabelos brancos e que muito lembrava o professor de português Waldir da época em que cursava o antigo ginásio na EEPG Rodrigo Mello Franco de Andrade. Por que será que nunca esquecemos o nome da escola que frequentamos?

O professor Waldir era o terror da escola, chegava em seu Corcel II bege todo amassado por chutes de alunos revoltados, de avental azul, cabelos brancos milimetricamente penteados de lado e pasta de couro debaixo do braço. Quando entrava na sala de aula, o pânico era geral. E eu era uma das vítimas do docente. Apenas uma vez consegui tirar um C em sua matéria e ele sorriu com tom irônico. 

Como de costume, mandava conjugar todos os tempos verbais em folha de almaço sem nenhuma rasura, senão já era ponto negativo na hora. Seu método de pontuação era da seguinte forma: ponto negativo a cada erro, imagina o sofrimento. Quem acertasse tudo, não ganhava nada, apenas a seguinte frase: "não fez mais que a sua obrigação". Mas claro, que os alunos mais dedicados sempre contavam com um pontinho positivo no final do bimestre.

Tem como gostar de um professor assim? Em uma das aulas, ele surpreendeu a todos dizendo "sei que ninguém gosta de mim e, para deixar vocês felizes, quero uma redação de até trinta linhas sobre como seria a minha morte, mas não pode ser queimado e nem por afogamento, com pena de tirar zero no bimestre". Pronto, descontamos a nossa raiva, escrevi sobre a sua morte esmagado no Corcel, claro que descontou os erros com pontos negativos, não tinha jeito, o cara era um ditador mesmo.

E o que esta história tem a ver com este blog sobre corridas de rua? Hoje valorizo todo aquela fase de terror do professor Waldir, ele estava apenas nos preparando para a realidade da vida adulta, dos estudos universitários e do trabalho, que cobra penosamente quando cometemos pequenos erros. E nos treinos temos de fazer tudo certinho para não recebermos pontos negativos nas maratonas.

Por favor professor Waldir, se estiver lendo este texto, não desconte na nota, por favor!