sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Taca Pimenta!

Talvez poucas pessoas tenham reparado em um ciclista socorrendo maratonistas que passaram mal devido ao calor excessivo durante a 20ª
Maratona de São Paulo, realizada em outubro passado. Era o famoso Pimenta, ou melhor, Luis Antonio Pimenta Lima e, como ele mesmo se intitula, "médico, avô e pretenso atleta amador". Leia a seguir o seu relato:

Em dezembro de 2013 corri a São Silvestre e transformei em realidade um projeto que vinha sendo adiado desde os meus 30 anos. Foi uma sequência de prorrogações: 30, 35, 40, 45, até que em 2013, ao completar 50 anos, tomei a decisão: será esse ano. Pensei em me preparar, mas a atribulação da carreira de médico pediatra insistia em me atrapalhar. Na verdade, era eu que me atrapalhava.


No decorrer de 2013, corri algumas provas de até 7 km e, depois que vi os meus tempos baixarem, já pensei que era um superatleta congênito. 
Em dezembro do mesmo ano, concluí a inscrição para a São Silvestre, cheio de vontade de realizar o meu projeto pessoal que há muito adiei.

Nos 15 km da São Silvestre, o sofrimento e a decepção de não ter treinado mais quase me fizeram desistir. Mas a vontade de vencer foi maior e tinha que concluir a minha tão sonhada corrida. Mesmo me arrastando na subida da Brigadeiro (avenida Brigadeiro Luís Antônio), arranjei forças e, quando virei na avenida Paulista, disparei num sprint alucinante de um gordinho de 93kg para os meus 1,70m para cruzar a linha de chegada. Em resumo, ganhei.

No ano seguinte comecei a treinar com assessoria esportiva, foram uns tantos perrengues e muitas dores musculares, bolhas, unhas roxas. Mas teve dois destaques que superaram tudo: a Bravus Race que participei, uma prova de 5Km com 15 obstáculos que me deixou feliz por estar acompanhado de cinco amigos da assessoria esportiva da qual participo. Terminei repleto de lama que justificou os meus esforços e

ressuscitou não só o atleta, mas o menino que estava há tanto adormecido.

Logo depois, eu praticamente voei nos 15km da corrida Sargento Gonzaguinha,

que serviu de parâmetro para saber se estava preparado para o meu próximo desafio. 

Te encontro na 90ª corrida de São Silvestre.