quarta-feira, 17 de junho de 2015

O Embaixador da Comrades no Brasil

Nato Amaral - de branco cruzando a linha de chegada
Vamos dar continuidade à série de posts sobre a 90ª Comrades. O paulistano Nato Amaral, 43 anos, conta o que a Comrades significa para ele.

Ante do relato, conheça a trajetória deste corredor que foi primeiro sul-americano da história a receber o Green Number (dez participações consecutivas), em 2011, das mãos de Bruce Fordyce (nove vezes campeão). Em 2015, completou a sua 13ª corrida depois de ter participado da Unogwaja, uma prova ciclística de quase 1.700 km percorridos em dez dias que sai de Cape Town e chega à Pietermaritzburg ao meio-dia de sábado e, depois de um pequeno descanso, teve de estar preparado para percorrer os quase 90 km da Comrades no domingo, às 5h30. 

Nato também é Embaixador da Comrades no Brasil e está empenhado em completar a Double Green Number, que significa 20 participações. 

por Nato Amaral

Muito mais que uma ultramaratona. Uma verdadeira paixão.

Bem além de uma prova de rua. Um evento que faz parte da história de um país.

Sua origem está na guerra. Sua mensagem principal está na paz.

Extrapola qualquer conceito de competição. Um evento da mais pura solidariedade.
Nato recebendo o Green Number de Bruce Fordyce

A Comrades, para mim, é algo que, sem nenhum egoísmo, só eu consigo entender. Pois só quem participa realmente entende. E cada um entende do seu jeito. 

E todos estão corretos, já que a Comrades mexe com o coração de quem pisa naquele solo sagrado. 

Emoção do início ao fim; ou melhor, emoção sem fim.

Na Comrades não temos adversários. Na Comrades somos todos camaradas. Literalmente Comrades.

Leia mais: